Razões para supervisionar os bancos comerciais

30 de abril de 2018

Razões para supervisionar os bancos comerciais

Salvaguardar um serviço essencial

Os bancos prestam serviços financeiros que todos utilizamos. Recorremos a eles para efetuar depósitos e contrair empréstimos e hipotecas. Tanto os particulares como as empresas e os governos precisam dos seus serviços. Os bancos possibilitam o funcionamento dos mercados financeiros e, por conseguinte, a atividade económica.

Inspirar confiança

O sistema financeiro está estreitamente interligado. As suas componentes permanecem unidas graças à confiança. A falência de um só banco pode abalar a confiança no sistema e ameaçar a integridade do mesmo. Por exemplo, as corridas a bancos podem espalhar-se rapidamente de instituições em dificuldades a instituições saudáveis, prejudicando também estas últimas. A falência de um banco pode levar à falência de muitos mais, criando um efeito de dominó.

Saber que os bancos comerciais são supervisionados reforça a confiança dos mercados e dos depositantes, reduzindo a probabilidade de corridas a bancos e outras formas de contágio financeiro.

Proteger os aforradores

O aforrador comum não consegue avaliar a segurança e a solidez dos bancos, dado que não tem acesso à informação necessária e provavelmente também não dispõe dos conhecimentos especializados para proceder a essa avaliação. Consequentemente, as autoridades de supervisão atuam no interesse público, verificando regularmente a cultura de risco e a governação das instituições de crédito e concedendo (ou revogando) autorizações bancárias.