Resultados da avaliação completa de 2014

A avaliação completa de 2014 constituiu um “exame da saúde financeira” de 130 instituições de crédito da área do euro (incluindo a Lituânia), abrangendo aproximadamente 82% do total dos ativos bancários.

Foi realizada pelo BCE e pelas autoridades de supervisão nacionais entre novembro de 2013 e outubro de 2014, tendo representado um passo importante na preparação para que o Mecanismo Único de Supervisão (MUS) se tornasse plenamente operacional.

Em números
N.º de instituições de crédito abrangidas 130 (incluindo três grupos bancários da Lituânia)
Duração 12 meses
Ativos bancários abrangidos (%) aprox. 82%
N.º de autoridades de supervisão nacionais envolvidas 26
N.º de pessoas envolvidas aprox. 6 mil

A avaliação completa terminou com a divulgação dos resultados gerais numa base agregada e por instituição de crédito, juntamente com recomendações em termos de medidas de supervisão.

Explaining the template for the comprehensive assessment (vídeo em inglês)

Áustria
BAWAG P.S.K. Bank für Arbeit und Wirtschaft und Österreichische Postsparkasse AG
Erste Group Bank AG
Raiffeisenlandesbank Niederösterreich-Wien AG
Raiffeisenlandesbank Oberösterreich AG
Raiffeisen Zentralbank Österreich AG
Österreichische Volksbanken-AG
BélgicaChipreEstóniaFinlândiaFrançaAlemanha
Aareal Bank AG
Deutsche Apotheker- und Ärztebank eG
Bayerische Landesbank
Commerzbank AG
Deutsche Bank AG
CA DISCLOSURE.xls CA DISCLOSURE.xls.pdf EBA Transparency.pdf
O campo “Realized fines/litigation costs from 1 January to 30 September 2014 (net of provisions)” na página final do modelo intitulado “EBA Transparency” respeitante ao Deutsche Bank foi corrigido para o alinhar com o valor indicado no modelo intitulado “CA disclosure”, campo C7: “Incurred fines/litigation costs from January to September 2014 (net of provisions)”.
DekaBank Deutsche Girozentrale
DZ Bank AG Deutsche Zentral-Genossenschaftsbank
HASPA Finanzholding
HSH Nordbank AG
Münchener Hypothekenbank eG
Hypo Real Estate Holding AG
IKB Deutsche Industriebank AG
KfW IPEX-Bank GmbH
Landesbank Berlin Holding AG
Landesbank Baden-Württemberg
Landesbank Hessen-Thüringen Girozentrale
Landeskreditbank Baden-Württemberg-Förderbank
Landwirtschaftliche Rentenbank
Norddeutsche Landesbank-Girozentrale
NRW.Bank
SEB AG
Volkswagen Financial Services AG
WGZ Bank AG Westdeutsche Genossenschafts-Zentralbank
Wüstenrot Bausparkasse AG
Wüstenrot Bank AG Pfandbriefbank
GréciaIrlandaItália
Banco Popolare - Società Cooperativa
Banca Popolare Dell'Emilia Romagna - Società Cooperativa
Banca Popolare Di Milano - Società Cooperativa A Responsabilità Limitata
Banca Popolare di Sondrio, Società Cooperativa per Azioni
Banca Popolare di Vicenza - Società Cooperativa per Azioni
Banca Carige S.P.A. - Cassa di Risparmio di Genova e Imperia
Credito Emiliano S.p.A.
Banca Piccolo Credito Valtellinese, Società Cooperativa
Iccrea Holding S.p.A
Intesa Sanpaolo S.p.A.
Mediobanca - Banca di Credito Finanziario S.p.A.
Banca Monte dei Paschi di Siena S.p.A.
Unione Di Banche Italiane Società Cooperativa Per Azioni
UniCredit S.p.A.
Veneto Banca S.C.P.A.
LetóniaLituâniaLuxemburgo
Banque et Caisse d'Epargne de l'Etat, Luxembourg
Clearstream Banking S.A.
Precision Capital S.A. (Holding of Banque Internationale à Luxembourg and KBL European Private Bankers S.A.)
RBC Investor Services Bank S.A.
State Street Bank Luxembourg S.A.
UBS (Luxembourg) S.A.
MaltaPaíses BaixosPortugalEslováquiaEslovénia
Nova Kreditna Banka Maribor d.d.
Nova Ljubljanska banka d. d., Ljubljana
SID - Slovenska izvozna in razvojna banka, d.d., Ljubljana
Espanha

O que acontece a seguir?

Os défices de capital identificados na análise da qualidade dos ativos ou no cenário de base do teste de esforço têm de ser cobertos até ao final de abril de 2015. Os défices de capital identificados no contexto do cenário adverso do teste de esforço têm de ser cobertos até ao final de julho de 2015.

Os resultados são tidos em conta na supervisão quotidiana efetuada pelo BCE a partir de novembro. Em particular, são incorporados na avaliação permanente dos riscos das instituições de crédito, dos seus mecanismos de governação e da respetiva situação em termos de fundos próprios e de liquidez no contexto do SREP.

Elementos

A avaliação completa assentou em dois pilares principais:

  • uma análise da qualidade dos ativos – para aumentar a transparência relativamente às posições em risco das instituições de crédito, incluindo a adequação da valorização de ativos e garantias e provisões associadas
  • um teste de esforço – para testar a resiliência dos balanços das instituições de crédito, realizado em estreita cooperação com a EBA
Integração

Os resultados do teste de esforço, sujeitos a garantia da qualidade, foram integrados nos resultados da análise da qualidade dos ativos por meio de um processo designado como “integração” (em inglês, “joinup“).

A integração foi o elemento diferenciador da avaliação completa em relação a outros exercícios precedentes realizados a nível europeu. Ligou e reforçou a análise da qualidade dos ativos, que consistiu numa avaliação num determinado momento do tempo, e o teste de esforço de caráter prospetivo, fortalecendo o exercício geral.

O conjunto dos resultados da análise da qualidade dos ativos foi incorporado nos resultados do teste de esforço para todas as instituições de crédito, mediante um ajustamento das posições iniciais do balanço.

Metodologia

Tanto na análise da qualidade dos ativos como no cenário de base do teste de esforço, a avaliação completa baseou-se num valor de referência de 8% de fundos próprios principais de nível 1 (Common Equity Tier 1 – CET1), em consonância com a definição constante da diretiva e do regulamento em matéria de requisitos de fundos próprios (Capital Requirements Directive IV/Capital Requirements Regulation – CRD IV/CRR), incluindo disposições transitórias.

O teste de esforço envolveu um cenário de base e um cenário adverso para testar a resiliência das instituições de crédito a situações de tensão. No cenário de base, a economia da União Europeia evoluía em conformidade com as projeções da Comissão Europeia até 2016; no cenário adverso, a evolução macroeconómica registava uma clara deterioração.

O BCE colaborou estreitamente com a EBA na definição da metodologia do teste de esforço e com o Comité Europeu do Risco Sistémico (CERS) no desenvolvimento do cenário adverso. O cenário de base foi concebido pela Comissão Europeia.

Comunicado da EBA (não disponível em português)

Processo

A avaliação completa foi realizada pelo BCE, em conjunto com as autoridades de supervisão nacionais dos países participantes, e contou com o apoio de terceiros independentes.

O BCE foi responsável pelas seguintes atividades:

  • gestão do exercício
  • planeamento da conceção e da estratégia
  • acompanhamento da execução, em estreita cooperação com as autoridades de supervisão nacionais
  • realização do controlo contínuo da qualidade
  • recolha de dados, consolidação e publicação dos resultados
  • finalização e divulgação da avaliação global

As autoridades de supervisão nacionais foram responsáveis pela execução do exercício nos respetivos países, maximizando, assim, os seus conhecimentos e experiência de foro local.

Para assegurar a coerência entre países e instituições de crédito, foram definidas medidas de controlo da qualidade.