COMUNICADO

BCE concluirá a avaliação completa de nove bancos em novembro de 2015

9 de outubro de 2015
  • Os resultados agregados e os resultados relativos a cada banco decorrentes da avaliação completa conduzida em 2015 serão publicados em novembro.
  • A avaliação completa realizada em 2014 constituiu um instrumento eficaz para fazer face aos défices de fundos próprios identificados no âmbito desse exercício.

A Supervisão Bancária do Banco Central Europeu (BCE) está a proceder a uma avaliação completa de nove bancos em 2015, tal como decidido pelo BCE no início deste ano. Oito dos nove bancos não participaram no exercício conduzido em 2014.

A avaliação completa, que consiste numa análise da qualidade dos ativos e num teste de esforço, está a ser realizada pelo BCE em consonância com a metodologia aplicada no exercício do ano passado. Um dos bancos está a ser submetido apenas a um teste de esforço, o qual foi adiado no exercício de 2014. Os resultados a nível dos bancos serão publicados num modelo de formato idêntico ao utilizado no exercício do ano transato.

Cinco dos bancos passaram a ser significativos já em 2014, nos termos do Regulamento do Mecanismo Único de Supervisão, que estabelece os critérios de elegibilidade dos bancos diretamente supervisionados pelo BCE. Os critérios incluem o facto de o valor total dos ativos de um banco exceder €30 mil milhões ou 20% do produto interno bruto (PIB) do Estado-Membro pertinente, ou de um banco passar a ser uma das três instituições de crédito de maior importância sistémica num Estado-Membro participante.

Os restantes quatro bancos podem tornar-se significativos até janeiro de 2016, estando, por conseguinte, sujeitos a uma avaliação completa. Mais pormenores sobre os bancos presentemente abrangidos pela avaliação completa são disponibilizados aqui.

O exercício de avaliação completa realizado em 2014, que proporcionou um “exame da saúde financeira” de 130 bancos antes de o BCE assumir diretamente as funções de supervisão bancária, identificou um défice de fundos próprios de €25 mil milhões em 25 bancos e défices residuais em 13 bancos, após terem sido tomadas em consideração as medidas aplicadas em 2014.

A avaliação completa constituiu um instrumento eficaz para propiciar a adoção das medidas necessárias no sentido de aumentar os níveis de fundos próprios principais de nível 1 dos 13 bancos e dar seguimento aos resultados qualitativos identificados na análise da qualidade dos ativos relativamente a uma amostra mais alargada de bancos participantes. As medidas aplicadas pelos bancos incluíram alienações, a emissão de instrumentos de fundos próprios e atividades de reestruturação, bem como a melhoria da gestão do risco e dos procedimentos contabilísticos de caráter prudencial.

O BCE continua a colaborar com os bancos em questão e com todos os restantes bancos diretamente supervisionados, a fim de assegurar que se encontram adequadamente capitalizados e que os riscos são abordados de forma prospetiva no decurso da supervisão quotidiana.

Para resposta a eventuais perguntas dos meios de comunicação social, contactar Ronan Sheridan (tel.: +49 69 1344 7416).

Contactos de imprensa