Menu

COMUNICADO

BCE publica versão final do guia sobre riscos climáticos e ambientais dirigido às instituições de crédito

27 de novembro de 2020

  • O BCE publica a versão final do guia após considerar os comentários recebidos numa consulta pública.
  • As instituições de crédito procederão a uma autoavaliação face às expectativas do BCE em inícios de 2021.
  • O BCE realizará uma análise completa das práticas das instituições de crédito em 2022.
  • O próximo exercício de teste de esforço em 2022 também se centrará nos riscos climáticos.
  • Separadamente, um novo relatório do BCE revela que as divulgações de riscos climáticos e ambientais pelas instituições de crédito apresentam deficiências significativas.

O Banco Central Europeu (BCE) publicou hoje a versão revista e final do seu Guia sobre riscos climáticos e ambientais, na sequência de uma consulta pública. O guia explica como o BCE espera que as instituições de crédito efetuem uma gestão prudente e uma divulgação transparente desses riscos nos termos das atuais regras prudenciais.

O BCE dará seguimento, junto das instituições de crédito, às questões abordadas no guia em duas etapas concretas. Em inícios de 2021, solicitará às instituições de crédito que realizem uma autoavaliação face às expectativas prudenciais descritas no guia e que elaborem planos de ação nessa base. Posteriormente, procederá a uma análise comparativa das autoavaliações e dos planos e questionará as instituições de crédito sobre os mesmos no âmbito do diálogo em matéria de supervisão. Em 2022, conduzirá uma análise completa das práticas das instituições de crédito e, se necessário, tomará medidas de seguimento específicas.

Atendendo à importância cada vez maior das alterações climáticas para a economia e à evidência crescente do seu impacto financeiro nas instituições de crédito, o BCE centrará o próximo exercício de teste de esforço para fins de supervisão, a realizar em 2022, nos riscos climáticos. Serão fornecidos mais pormenores no decurso de 2021.

O BCE também publicou hoje um relatório, onde revela que as instituições de crédito apresentam deficiências nas respetivas divulgações de riscos climáticos e ambientais. Não obstante algumas melhorias face ao ano precedente, as instituições necessitam de realizar esforços significativos para fundamentar melhor as suas divulgações, apoiando-as em informação qualitativa e quantitativa relevante. No segundo semestre de 2021, o BCE pretende identificar as lacunas remanescentes e discuti-las com as instituições de crédito.

No âmbito da consulta pública, o BCE recebeu mais de 50 comentários de um vasto leque de partes interessadas, incluindo do setor bancário. A resposta do BCE aos mesmos é fornecida no documento de análise.

O guia é aplicável imediatamente.

O guia e os comentários recebidos, juntamente com o documento de análise dos mesmos, estão disponíveis no sítio do BCE dedicado à supervisão bancária.

Para resposta a eventuais perguntas dos meios de comunicação social, contactar Uta Harnischfeger (tel.: +49 69 1344 6321).

Contactos de imprensa